9 de set de 2005

Distúrbio na força... (Parte 2)

Aqueles que pensaram que estou migrando para Windows na plataforma desktop ou servidores, se enganaram profundamente.

Só uso M$-Windows em último caso. No trabalho utilizo para programar em Delphi e em casa para jogar.

Quando tivermos jogos para Linux acredito que o uso da plataforma nos desktops irá aumentar exponencialmente. A Sony utiliza Linux para o jogos de Playstation 2 e também irá usar no 3. O kit de desenvolvimento de jogos para PS2 que compreende em um hard disk com o Linux pré-instalado, teclado e mouse é vendido para qualquer mortal. Quem sabe as produtoras não começam investir neste mercado. A coisa pode ficar feia pro tio Bill.

Em 1995, comprei um super PC, era um Pentium MMX 200Mhz com 32mb de RAM. Era uma super máquina na época. De lambuja, ainda ganhei um HandHeld Cassiopeia A-11. Ele rodava Windows CE 1.0. Tinha 4MB de RAM z e funcionava com 2 pilhas tipo AA. A tela era bem fraquinha (faltava contraste) e só tinha os aplicativos básicos e limitados. Precisava de vários soft-resets por dia, além disso, a bateria backup acabava muito rápido e as perdas de dados eram constantes.



Cassiopeia A-11

Tela do Windows CE 1.0, idêntica ao Windows 95.

Depois das "aventuras" com o Cassiopeia, experimentei o meu primeiro Palm. Foi um Palm Pilot Professional III. Foi uma mudança drástica, dos travamentos do Windows CE para a facilidade e agilidade do Palm OS. No Palm tudo é muito rápido, raramente precisava de um soft-reset, etc. A quantidade de aplicações disponíveis é um absurdo, muitos freewares, etc. Foi uma festa. Desde então, nunca mais quiz saber desses HandsHelds baseados em Windows.

A Palm depois de alguns excelentes lançamentos como o 515, Vx e o Zire 71 e começou a deixar a peteca cair na parte do hardware lançando Palms com problemas sérios de MDS (problemas na tela), Palms que descascam, acabamento horrível, péssimo suporte, etc. O PalmOS também ficou estagnado e Não vemos mudanças significativas há muito tempo.

Enquanto isso, no lado negro da força, os Pocket PCs foram evoluindo lentamente e hoje já são muito mais confiáveis e com um número de aplicativos razoável. A Microsoft e as outras (Dell, Compaq, HP) foram comendo "pelas beiradas".

A Palm dormiu no ponto, e hoje não tem 1/3 do mercado que dominava totalmente há 3 anos atrás. Muita gente que já foi fã de carteirinha da Palm já migrou ou pensa em migrar para o lado negro da força. A Bia Kunze e o Carlos Cardoso tiveram problemas terríveis com a Palm, e hoje estão satisfeitos com seus PocketPCs.

A Palm esta prometendo o Cobalt há algum tempo e recentemente foi adiado novamente, e para 2007. O Cobalt será a versão "revolucionária" do PalmOS. Ela irá incorporar multi-tarefa, melhores recursos multimídia, etc. Vamos esperar sentados?!

Esse adiamento, os problemas com o hardware, e o descaso da Palm com os seus usuários foram os fatores que me fizeram voltar para o Pocket PC.

Hoje, depois de 30 longos dias de espera, acabei de receber o meu novo handheld, o Dell x50v. Este Pocket PC tem as seguintes características :

  • Sistema Operacional Microsoft® Windows® MobileTM 2003 Second Edition com Windows® Media Player 10 MobileTM
  • Processador Intel® XScaleTM PXA270 de 624MHz
  • Tela Brilhante de 3.7" colorida TFT, VGA com resolução 640x480
  • Wi-Fi 802.11b e BluetoothTM integrados
  • Memória 64MB SDRAM e 128MB Intel® StrataFlash® ROM
  • Slots CompactFlash® Type II and Secure Digital / SDIO Now! / MMC integrados para expansão
  • Suporte e saída VGA-Out com kit para apresentação opcional
  • Bateria primária removível com bateria de alta capacidade opcional
  • Microfone e alto-falante integrados
  • cabo e base de sincronização USB
  • Tecnologias Wi-Fi 802.11b e BluetoothTM integradas
Este modelo é o top de linha da Dell, tem saída VGA (Atinge até 800x600) e acelerador gráfico com 16MB de RAM.

To be continued...